Páginas

sábado, 8 de setembro de 2012

PARA CLEUZA ESTRONIOLI CASTRO

* TRECHO DE UM POST DIA DAS MÂES 05/2010


"E das “mães dos outros” que convivi no decorrer da vida, me veio a lembrança de uma mãe especial, talvez a primeira que tenha despertado minha atenção e admiração.
Dona Dirce Falsetti Stornioli, mãe dos amigos Jacó e Cleusinha
Quando ela faleceu há alguns anos atrás, eu procurei o jornal da cidade, com um texto onde falava da minha admiração por ela, desde sempre.
Eu admirava o jeito que ele recebia os amigos dos filhos, quando isso era ainda um fato raro, admirava o jeito que ela sempre tratou todos da mesma maneira. Numa cidade sectária como Ibitinga, sua casa era um território de real igualdade, ela o fazia assim  
Era amiga dos filhos com cumplicidade e mãe com a dose exata de autoridade.
E soube como ninguém criar uma verdadeira família, Tinha filhos moços e formados, ao mesmo tempo em que  tinha filhos adolescentes,e essa diferença não os separou.
Teve filhos metódicos, outros mais relaxados, tranqüilos.
Todos  bem sucedidos, uns mais, outros menos, que diferença isso faz?
Cada um realizado á seu modo. Teve filhos extremamente preocupados com tudo, e os preocupados com nada.
Zen. Stressados, de humor complicado, outros de sorrisos e temperamento fácil.
São assim, cinco irmãos, diferentes entre si, que se amam, convivem, se ajudam, se respeitam, e principalmente não JULGAM  um ao outro.
Convivem, se amam, se aceitam.
Família não é isso mesmo?
Pensei muito nisso nesse Dia das Mães."
Vale o registro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário